Rotina Ayurvédica | Dar Tempo ao Tempo

O tempo – Kala – é uma unidade de medida fundamental em Ayurveda. Observando a fundo, tudo na Ayurveda tem o seu tempo ideal, tudo tem o momento mais propício, e tem até o instante mais auspicioso ou poético para o mais variado tipo de atividades. E é o tempo bem gerido, consciente e equilibrado que torna o conceito de rotina tão crucial na Ayurveda. O nosso corpo é naturalmente muito ‘atmosférico’ e ‘climatérico’, alterando-se facilmente com as mudanças dos humores ao longo do dia, do ano, e do ambiente.

É principalmente a constituição Vata, – que é mais vulnerável às mudanças da vida e do tempo – que sente com maior desafio o conceito de rotina, já que a rotina fala de estrutura, compromisso, constância e foco, ideais mais presentes no Pitta e no Kapha. Muitos são os fatores quotidianos, internos e externos, que atuam sobre nós e perturbam a rotina e o equilíbrio, fatores como stress emocional e físico, escolhas alimentares e dietéticas, estações do ano e clima, trauma físico, trabalho, e relações íntimas e familiares. Uma vez compreendidos os fatores de desequilíbrio, e à luz do pensamento Ayurvédico, são tomadas as devidas ações para anular ou minimizar as causas do desequilíbrio, e colocar o foco no restabelecer da constituição individual de nascimento. O equilíbrio é a ordem natural; o desequilíbrio é a desordem. A saúde é ordem; a doença é desordem. Dentro do corpo, há uma interação constante entre a ordem e a desordem. Quando se compreende a natureza e a estrutura da desordem, é possível restabelecer a ordem. E o tempo e rotina são os meios que permitem alcançar esse fim.

Uma rotina diária bem aplicada traz mudanças profundas ao corpo, às emoções, à mente e à consciência. A rotina ajuda a estabelecer e regularizar o relógio biológico da pessoa, auxilia na digestão, absorção e assimilação, e gera equilíbrio, segurança, autoestima e autoconfiança, disciplina, paz, felicidade e longevidade.

O tempo para equilibrar o Vata-Pitta-Kapha

Na Ayurveda identificam-se três tipos básicos de energia ou princípios funcionais, – que podem ser relacionados à biologia básica do corpo -, estão presentes em tudo e todos.

É necessária energia para criar movimento, de forma a que os fluidos e nutrientes cheguem às células, permitindo que o corpo funcione. A energia também é necessária para metabolizar os nutrientes nas células, e é necessária para lubrificar e manter a estrutura da célula. O Vata é a energia do movimento; o pitta é a energia da digestão ou metabolismo, e o kapha, é a energia da lubrificação e estrutura. Todas as pessoas têm as qualidades de vata, pitta e kapha, mas uma é geralmente primária, uma secundária e a terceira é geralmente menos proeminente. A causa da doença na Ayurveda é vista como uma falta de função celular adequada devido a um excesso ou deficiência de vata, pitta ou kapha. Em equilíbrio, o vata promove criatividade e flexibilidade. Desequilibrado, o vata produz medo e ansiedade. Em equilíbrio, o pitta promove compreensão e inteligência. Desequilibrado, o pitta desperta raiva, ódio e ciúme. Em equilíbrio, o kapha é expresso como amor, calma e perdão. Desequilibrado, leva ao apego, ganância e inveja.

Para se construir conscientemente uma Rotina Diária, é importante ter em conta a forma como o Tempo interage com o corpo e com os três humores.

O ciclo do tempo

Como o tempo, os humores corporais estão em perpétuo movimento existindo uma relação estreita entre esse movimento e a passagem do tempo. O aumento ou diminuição dos três humores no corpo está relacionado com os ciclos do tempo.

Da aurora até as 10:00 horas da manhã é um tempo de kapha. Devido a predominância de kapha nesse momento a pessoa sente-se energizada e fresca, mas com um pouco de peso. A meio da manhã, o Kapha transforma-se lentamente em Pitta. Das 10:00 horas da manhã ao meio-dia, quando o Pitta é segregado, a fome surge e a pessoa sente-se leve e quente. À tarde, das duas horas até ao pôr-do-sol é o momento em que o Vata aparece e a pessoa sente-se activa, leve e suprida. Ao anoitecer o Kapha desponta novamente é o período do ar fresco, de inércia e de pouca energia; a natureza convida-nos ao sono profundo. Então das 22:00 horas até por volta das 02:00 da manhã, o Pitta sucede ao Kapha, e é o momento do alimento ser metabolizado, e distribuído pelo organismo; é o tempo das células serem alimentadas. Antes do nascer do sol, o Vata manifesta-se e proporciona o movimento do despertar.

As pessoas devem acordar e fazer as descargas naturais dos malas (resíduos). Nesse período o pequeno-almoço deveria ser tomado entre as sete e oito horas. As pessoas de pitta e vata devem tomar o pequeno-almoço, preferencialmente no período de kapha. Já as pessoas de constituição kapha não deveriam comer nada pela manhã. A melhor hora para o almoço é no início do tempo de Pitta, que é entre 11:00 e 12:00 horas da manhã, quando o sol começa a ficar no pino. Comer à noite, altera a química do corpo e o sono pode ser perturbado. Se o alimento for tomado entre 18:00 e 20:00, o estômago já estará vazio e o sono poderá ser profundo. Se a hora de comer for mudada, o equilíbrio criado por esses ritmos, será abalado e esta drástica mudança poderá gerar doenças. O conceito de tempo não só incorpora as mudanças do relógio, do calendário, das estações do ano, mas também as fases da lua e o ciclo do sol. Todas essas mudanças estão relacionadas com os humores do corpo.

A astrologia hindu engloba o ciclo de todos os planetas, no intuito de estudar os períodos favoráveis e desfavoráveis sob suas influências na vida das pessoas. O sol está relacionado com a consciência, e lua com a mente que cria mudanças nos estados emocionais e mentais. A lua é a deusa da água, portanto governa kapha, os atributos da lua são: frescura, brancura, lentidão. Durante a lua cheia o kapha é agravado no corpo e o elemento água é estimulado no ambiente externo. Neste momento a água do oceano cria altas ondas. Pessoas que têm o kapha elevado e relacionado com desequilíbrios como a asma ou epilepsia, sofrerão mais ataques durante a lua cheia, e as mulheres terão mais fluxo menstrual. Já no período da lua nova, a energia solar torna-se mais intensa. Cada planeta está relacionado com algum órgão do corpo. Por exemplo: Marte está relacionado com o sangue e o fígado. Saturno está relacionado com os nervos, músculos e ossos. Vénus está relacionada com a tiroide. Mercúrio governa a capacidade da razão. De acordo com os movimentos desses planetas, os humores também são afectados. O tempo governa não somente os movimentos planetários, mas também os ciclos de vida humana.

O movimento do tempo na vida individual é também um ciclo de Kapha – Pitta – Vata. A Ayurveda ensina que existem três idades muito importantes na vida de um ser humano: a infância, a maturidade, e a velhice. A infância é o tempo de Kapha, e a criança poderá sofrer muitas desordens desse humor, como congestão nos pulmões, constipações, secreção de mucos, etc. O seu único alimento até os seis meses de idade é preferencialmente o leite materno. Este período Kapha estende-se até os dezasseis anos aproximadamente. Dos dezasseis aos cinquenta anos é o período em que predomina o Pitta, e em que prevalece a vitalidade. As desordens de Pitta mais acentuadas nesse período são o stress, ansiedade, raiva, desordens digestivas, problemas na visão, irritação. Na velhice predomina o período Vata, que é um período bastante frágil devido às desordens relacionadas ao sistema nervoso, tremores, dificuldade de respirar, artrite e perda de memória etc.

Tempo, rotina e alimentação

O tempo para a preparação e ingestão de alimentos de é tido em conta segundo os seguintes fatores:

– O efeito do tempo nos alimentos, em que se considera que as substâncias estão constantemente a sofrer mudanças com a passagem do tempo. Por exemplo: os cereais e as leguminosas são mais difíceis de digerir quando têm menos do que um ano. O vinho torna-se mais leve e eficiente com o tempo. Os alimentos cozinhados ‘envelhecem’ e ‘perdem energia (prana) no dia seguinte. Estas alterações de qualidade podem apenas ser atribuídas ao tempo.

– O tempo natural para a ingestão dos alimentos: quando a refeição anteriormente ingerida é assimilada, a fome surge naturalmente. Os sintomas são os seguintes: a pessoa sente fome; surge uma sensação de vazio no estômago; o corpo, o estômago e os órgãos dos sentidos ficam leves e limpos; a refeição anterior foi digerida; o sistema digestivo e os sucos digestivos estão prontos para receber o alimento; o arroto é puro e sem cheiro ou paladar associado; os intestinos foram aliviados; os três humores estão a funcionar apropriadamente nas suas sedes. Se o alimento é ingerido fora de tempo (seja mais cedo ou mais tarde), o alimento não é corretamente digerido.

– O tempo do dia para a ingestão dos alimentos: Uma pessoa saudável almoça por volta das 12 horas. Por esta altura, a refeição anterior já estará digerida, e o fogo digestivo está naturalmente no seu melhor. O jantar pode decorrer de uma a duas horas após o pôr-do-sol (entre as 18 e as 20 horas). A refeição da noite deve ser bastante mais leve que o almoço. Uma dieta apropriada tomada na hora certa, não provoca indigestão, e promove a saúde e o bem-estar. Indivíduos que estejam febris, ou estejam em estado de convalescença devem fazer um jantar leve. Um adulto deve evitar tomar alimentos três horas antes do almoço e do jantar. Os homens que pratiquem uma forte atividade física, não devem passar mais do que seis horas sem se alimentarem. Se o almoço não é bem digerido, o jantar deve ser leve. Da mesma forma, se o jantar for mal digerido é aconselhável saltar, ou adiar o almoço, no dia seguinte. São de evitar ceias, e refeições feitas de madrugada.

 A estação do ano e os alimentos: A estação do ano e os alimentos: durante o Inverno o fogo digestivo é bom, tornando-se mais fácil digerir alimentos pesados. Durante esta altura o ocaso ocorre mais cedo, e o jantar deve também ser antecipado; por outro lado, o pequeno-almoço deve ser reforçado, por volta das 10 horas da manhã. No Verão devido ao sol forte, o almoço pode ser tomado por volta das 14 horas. É a altura do ano em que o fogo digestivo está mais baixo, pedindo por refeições mais ligeiras e fáceis de digerir. A Primavera é uma estação Kapha, sendo importante ter consumir alimentos que aqueçam e tragam alguma secura ao excesso de mucosidade habitual nesta altura do ano. O Outono traz a secura do Vata, e a necessidade de se ingerirem alimentos mais quentes, húmidos e pesados.

– O estágio de uma doença e os alimentos: o tipo de dieta apropriado a cada tipo de doença. Por exemplo, o jejum é adequado no estágio tóxico que gera a febre.

Os diferentes tipos de alimentos devem ser ingeridos de acordo com as horas do dia. O modo pelo qual o nosso dia começa é muito importante. A manhã é a parte mais sattvica do dia, portanto só alimentos sattvicos deveriam ser ingeridos a essa hora.

A maioria dos cereais é adequada. A aveia e o trigo são particularmente indicados, embora devam ser ingeridos com parcimónia. As frutas cítricas que são alimento rajásico nunca devem ser ingeridas de manhã. Os alimentos rajásicos ingeridos num período sattvico geram um estado de hipersensibilidade e raiva, em pessoas susceptíveis. As frutas sattvicas que podem ser ingeridas de manhã são: a uva, a banana, a pêra, as passas, o coco. O leite de coco é sattvico e alcalino que usado com regularidade ou como alimento único matinal durante quarenta dias, ele pode curar todos os problemas estomacais e a raiva crónica. Tanto a polpa quanto o leite de coco contêm bastante Prana.

Durante a tarde, a pessoa necessita de sumos e alimentos com maior teor de líquidos. A partir do momento em que começa a tornar-se mais fino (dez minutos antes do amanhecer) o sangue vai gradualmente perdendo o seu poder. Desde pouco antes do meio-dia, até ao meio da tarde, o organismo está no auge da sua actividade, consumindo energia num ritmo rápido para assegurar o cumprimento de toda a rotina diária. No fim da tarde, o organismo está inteiramente exaurido.

É à tarde, portanto, que o organismo precisa de alimentos que forneçam energia com a mínima quantidade de esforço. É essa a hora habitual do chá ou de outros estimulantes. Para compensar as toxinas da cafeína, no Inverno só se deveria tomar café e chá com frutos oleaginosos torrados; no Verão, com sementes de pepino e abóbora.

Os sumos de fruta são ótimos para uma tarde de verão, bem como as frutas frescas. A refeição deve, apesar de tudo ser leve, porque concretizar tarefas com o estômago cheio gera um desequilíbrio nos gases do corpo, o que pode criar muitos e diferentes tipos de doenças. A aplicação de uma Rotina Ayurvédica sintoniza-nos naturalmente com a nossa Constituição de nascimento, com a bússola biofisiológica do corpo, com os Ciclos da Natureza, e no fundo com Tempo do Universo.