Mantra da Lua Cheia em Caranguejo

Mantra para a Lua Cheia em Caranguejo 🌝😊🙏

Eu deixo ir tudo o que deixou de me servir 🌟
Eu liberto-me de todas as memórias e sentimentos obsoletos que mantiveram o meu Coração preso e obstruído 🌟
Eu abraço a minha Sombra e agradeço-me por me permitir redescobrir o Amor em mim mesma(o) 🌟
Eu dou um passo em frente na direção do meu Sonho e do meu Propósito 🌟
Eu faço a escolha sábia de me abrir a tudo o suporta o meu crescimento interior e a minha evolução espiritual 🌟
Eu mantenho a pureza, a humildade e a frescura da minha Criança Interior nutrida e em Luz 🌟
Eu permito-me receber as Bênçãos, as Graças, as Revelações e os Milagres que mereço por me comprometer com a minha Jornada interna 🌟
Eu assumo a responsabilidade de Ser fiel a mim mesma(o) 🌟
Ahoooo 😊🌟🙏

🌟 Michele Pó 🌟

Ayurveda no equilíbrio do Homem | Um caminho para o Sagrado Masculino

A abertura do caminho do sagrado masculino desponta ainda na infância, quando o menino começa a ser confrontado com os desafios da vida e o vocabulário emocional dos seus pais. À medida que progride na infância, os seus pensamentos e sentimentos moldam-se e são influenciados pelo ambiente à sua volta, numa procura constante de ajustar-se, pertencer, corresponder e compreender o mundo externo. Nascendo com certas predisposições, tendências e ideias que são cultivadas de uma forma ou de outra, à medida que passa pelas diferentes fases da vida, existem circunstâncias que inibem ou apoiam o crescimento emocional do menino, e que tanto nutrem a concha emocional blindada gerada na infância – e que se pode manter e intensificar durante a vida adulta, tornando-o mais duro consigo próprio -, como também podem alimentar a coragem de enfrentar o medo e as inseguranças internas, revelar a sua força interior e fazer despontar nele um homem adulto sereno, seguro e integrado.

A energia masculina tende a ser emocionalmente interiorizada e contida, o que por consequência torna mais desafiante o acesso às emoções feridas, aos traumas, à sombra inconsciente. A gestão dos conflitos internos emocionais, e o trabalho com as emoções é o que permite a pacificação da sombra desestabilizadora da autossegurança, autoproteção e autoconfiança internas, e o emergir do homem equilibrado.

Um dos conflitos básicos começa com a ideia de separação em relação ao Mundo, e a separação do masculino e do feminino é um dos níveis onde pode também ocorrer uma ferida.  Quando o eu masculino permite a integração da sua energia feminina, da sua intuição e das suas emoções, o caminho para a cura de feridas emocionais, e para o equilíbrio interno fica aberto.

As emoções são por natureza mais femininas, e é também por isso que os homens tendem a oprimi-las e resistirem em lidar com elas.  A energia masculina é naturalmente mais mental, contudo, para equilibrar-se precisa de ouvir e agregar os apelos do coração. Um homem integrado é aquele que abraça, trabalha e aceita a sua vulnerabilidade, e desta forma alcança a consonância entre o seu coração, a sua mente, o seu corpo, amadurece a sua criança interior e alcança a harmonia funcional entre todas as suas partes.

Equilibrar as partes | masculino e feminino em harmonia

Intuição e intelecto, feminino e masculino, lua e sol, noite e dia. Em todo o Universo, pares de qualidades opostas – gurvadi gunas – combinam-se numa dança dinâmica. A Ayurveda reconhece o valor dessa interação de opostos no meio ambiente e no nosso ser. Na verdade, a ideia de que o oposto traz equilíbrio é um princípio central dos tratamentos ayurvédicos. Pode-se aplicar esse conceito à alimentação, às atividades quotidianas e, sobretudo, à forma como se administra a energia interna, ou melhor, o prana.

O prana é geralmente descrito como a força vital, contudo tem muitas outras manifestações diferentes. O Prana é o elemento mais subtil do Universo, e dele nascem todos os outros elementos – éter, ar, fogo, água e terra. Esses elementos constituem tanto o corpo como o Universo, portanto, pode-se dizer que o prana é a causa subjacente de tudo o que é experimentado. Ele cria e sustenta a vida, e quando se retira, o resultado é decadência e a morte.

A Ayurveda e o Yoga são essencialmente formas de medicina prânica. O objetivo destas práticas é estimular o fluxo interno do prana para que ocorra uma cura profunda e duradoura. Quando ocorre um fluxo ótimo de prana os aspectos opostos do Ser equilibram-se, particularmente as energias divinas femininas e masculinas.

Essas energias estão presentes dentro de cada um de nós, independentemente do nosso género. A energia feminina ilumina o mundo interior e inclui qualidades como intuição, compaixão e bondade. Esse aspecto está relacionado com o Kapha – os elementos esfriantes da água e da terra -, com o lado direito do cérebro e o lado esquerdo do corpo. A energia masculina é orientada para o mundo exterior, é o fogo do intelecto em ação, o desejo de agir. O lado masculino está ligado ao Pitta, ao lado direito do corpo e ao lado esquerdo do cérebro.

Quando todos os aspetos do Ser são valorizados e integrados a maturidade, a sabedoria e a paz interior são consequências, e aprende-se a viver a partir de um lugar de equilíbrio e moderação, onde a saúde, a eficiência interior e a eficácia exterior impera.

Contudo, o homem tende a oprimir a expressão da sua energia feminina, e as emoções estagnadas e sem resolução afetam os tecidos corporais que cristalizam e ficam a carecer de circulação, oxigenação, fluxo sanguíneo, desenvolvendo-se resistência ao fluir natural do prana, o que gera desequilíbrios e doenças. No estado de resistência, a vitalidade é inibida, o que significa que tamas – a energia da inércia e da escuridão – começa a instalar-se, e partes do corpo  efetivamente desligam-se e começam a retirar-se da vida, criando bloqueios. As consequências para o bem-estar são significativas – como o desequilíbrio dos doshas, o agni enfraquecido e uma desconexão entre a mente e o corpo. Estes sintomas são a consequência de um afastamento da sua Essência, de um desligar-se de uma parte importante de si, o que, por sua vez, leva a mais desequilíbrio.

Hoje em dia, a energia masculina e as suas qualidades naturais, como assertividade e ação, são muito valorizadas. Essa tendência desequilibrou na verdade o caminho para o sagrado masculino, já que a jornada interna se faz também através de práticas sáttvicas internas femininas, como o pranayama e a meditação. Essas práticas para além de aumentarem a paz de espírito, expandem a visão interna da Essência, e daquilo que a vida propõe no trilho encantado da Existência.

Nutrir com a Ayurveda o caminho quotidiano para o Sagrado Masculino

Respirar fundo… e alternadamente

Uma das práticas de pranayama que mais ajudam a gerir emoções e a calibrar o masculino e o feminino no corpo é o nadi shodhana. Nesta prática, são purificados e equilibrados os nadis ida e pingala, os canais energéticos que vão da base da coluna até a ponta de cada narina. A ida feminina conecta-se à narina esquerda e administra a energia subtil da parte esquerda do corpo. O pingala compreende o lado direito do corpo energético e termina na narina direita.

A técnica de nadi shodhana envolve expirar e inspirar por uma narina e, em seguida, expirar pela outra, e continuar para frente e para trás dessa forma num ritmo lento e uniforme. Quando praticado regularmente de modo sáttvico, o nadi shodhana harmoniza o fluxo energético de ida e pingala, e move o prana para cima e para baixo uniformemente na coluna. Isso cria equilíbrio na mente e no corpo e estabelece a base para o funcionamento metabólico ideal.

Cuidar do sono

O sono é um dos pilares da saúde em Ayurveda. Deitar cedo e cedo erguer é muito mais que um ditado ou sabedoria popular. O corpo precisa de descansar, e sobretudo precisa de fazê-lo em horas específicas para acompanhar as funções biofisiológicas e os processos metabólicos intra-celulares que ocorrem durante a noite. A regulação do relógio interno proporciona a base para um melhor desempenho e atenção em estado de vigília. A privação de sono tornou-se um lugar comum na sociedade, o que resulta no esgotamento mais rápidos das reservas cerebrais e aumenta a resposta ao stress.

Habitualmente são usadas algumas ervas que potenciam o descanso mental e produzem um sono profundo e reparador:

– Bacopa (Brahmi) – um dos grandes tónicos cerebrais que equilibra o Vata e o Kapha, e que reduz a ansiedade, a depressão, a fadiga mental, a insónia e melhora a capacidade de memorização.

– Açoro (Calamus/Vacha) – tónico cerebral, capaz de produzir lucidez, e melhorar as funções mentais como um todo.

– Ashwaghanda – conhecida como ginseng indiano, destaca-se pela sua versatilidade e pela sua propriedade adaptogénica. Aconselhada para a insónia, stress, ansiedade e depressão.

– Jatamansi – é um tónico cerebral e uma poderosa ferramenta para melhorar a capacidade de memorização. Acalma o organismo, trata problemas nervosos e emocionais, como a ansiedade, depressão e insónia.

Água morna ao acordar

Logo pela manhã, beber um copo grande de água morna com um pouco de sumo de limão fresco e uma colher de mel cru. Isso ajuda a evacuar regularmente pela manhã e elimina as toxinas, mantendo a digestão e a eliminação regulares. Em caso de necessidade, pode-se tomar triphala para ajudar a manter a digestão equilibrada.

Hidratação é saúde

Manter o corpo hidratado no trabalho e durante os treinos é fundamental, contudo deve-se evitar bebidas carbonatadas, geladas e com cafeína. Beber água pura, infusões de ervas, sumos de frutas doces e suculentas, especialmente água de romã e coco. Estudos recentes mostram que a água de coco tem um efeito rejuvenescedor por fornecer eletrólitos ao corpo.

Almoço ao meio-dia

A refeição principal na Ayurveda é o almoço, quando o Pitta está no seu pico, e a capacidade digestiva no seu melhor. Comer a esta hora reduz a flacidez do estômago que se desenvolve pela meia-idade. À noite é importante comer cedo, e escolher alimentos leves que possam ser digeridos antes da hora de deitar. Desta forma a comida será convertida em músculo em vez de gordura. Quando a digestão é forte o sistema imunológico é suportado. De acordo com a Ayurveda, fortalecer a digestão é a coisa mais importante que se pode fazer pela saúde.

Força, Vitalidade e Imunidade

A força, a vitalidade e a imunidade no homem dependem muito da gestão da sua sexualidade. Na medicina ayurvédica a atividade sexual é considerada muito sagrada. O ato sexual é muito mais do que envolvência física; é passar a preciosa informação genética para a próxima geração e criar uma árvore genealógica mais saudável, nutrida e sábia. Para a sobrevivência das gerações futuras, é muito importante passar material genético refinado, de forma a garantir a saúde no futuro. O prazer na atividade sexual também é importante nos relacionamentos, construindo confiança e intimidade.

A Ayurveda procura restaurar o equilíbrio dos três doshas no corpo – Vata, Pitta e Kapha. É por meio desse equilíbrio que se consegue uma boa saúde. Esses princípios são válidos para a função sexual. Por exemplo, os tipos Kapha em geral têm mais energia sexual do que os tipos Vata. Portanto, para equilibrar Kapha e promover a energia sexual, a Ayurveda recomenda ingerir alimentos doces e mais pesados, como ghee, leite, tâmaras e figos. Na verdade, o leite aquecido com tâmaras é um restaurador tradicional após a relação sexual. A Ayurveda recomenda manteiga orgânica ou ghee como afrodisíaco. Uma colher de chá de manteiga orgânica ou ghee pode ser usada com segurança diariamente para estimular a saúde sexual. Na Índia, a semente de linhaça combinada com nozes e sementes é usada tradicionalmente no inverno como afrodisíaco. Substituir o café pelo chá verde, fazer exercícios regulares, ioga, exercícios respiratórios e meditação ajudam a baixar a pressão arterial, o que pode levar à função sexual normal.

Existem também quatro princípios-chave que são manifestações fisiológicas diretas de energia, vitalidade e imunidade. Quando se cuida de cada um desses quatro aspetos da ecologia mente-corpo, atrai-se naturalmente um senso aprimorado de saúde e vitalidade na vida. Os quatro princípios são:

– Agni é o fogo metabólico sagrado que fornece energia para o corpo e a mente – nos níveis denso e subtil.

– Ojas é a essência subtil do Kapha e de todos os sete tecidos corporais; é a principal fonte de vitalidade, força e imunidade do corpo, e é muito afectado pela qualidade da vida sexual.

– Tejas é a essência subtil do agni e do Pitta que transforma a matéria em energia e consciência.

– Prana é a respiração vital, ou energia da força vital, que dá vida a cada um de nós; é também a essência subtil do Vata.

Saúde da próstata

Existem muitas razões para o desenvolvimento de problemas de próstata. Um é o uso excessivo de Shukra Dhatu, ou seja, o uso excessivo dos órgãos sexuais. Outra é a falta de fluidos adequados no corpo, devido à pouca ingestão de água durante o dia. Suprimir o desejo natural de urinar também pode, com o tempo, fazer com que a urina fique mais concentrada e, por sua vez, irritar a próstata.

Beber muito álcool ou bebidas com cafeína também pode causar desequilíbrio. O álcool, por exemplo, cria um aumento anormal na produção de urina, o que agrava os doshas Pitta e Vata. Até mesmo o trabalho pode ser uma fonte de desequilíbrio. Quem fica sentado por longos períodos sem fazer uma pausa ou alongamentos, pode criar um desequilíbrio na área reprodutiva do corpo. A falta de exercício diário ou uma dieta que crie impurezas digestivas (ama) no corpo são outra das causas que geram problemas de próstata. É importante incluir na alimentação especiarias que purifiquem a urina diariamente, como a curcuma, os cominhos e a erva-doce.

Deitar tarde, noites sem dormir, refeições fora de horas, e rotina irregular podem ajudar a gerar toxinas no corpo e a perturbar o sistema imunológico. O principal fator que conecta todos os itens acima é ama (toxinas). Ama é o termo que descreve as impurezas pegajosas que são criadas quando a digestão é fraca e os alimentos não são completamente digeridos. O envelhecimento em si pode criar o enfraquecimento da digestão, contudo a maioria da ama é criada por hábitos alimentares e de estilo de vida inadequados – comer alimentos requentados e pesados ou comer refeições em horários irregulares do dia.

O Vata aumenta à medida que envelhecemos. Na Ayurveda, a última parte da vida é conhecida como Vata Kala (período de vida Vata). Como o Vata é por natureza irregular, seco e mutável, ele pode tornar a digestão mais irregular. Isso contribui para que mais ama seja produzida e se espalhe para os tecidos.

Se uma pessoa também tem um desequilíbrio de Shleshaka Kapha (o subdosha de Kapha que rege a lubrificação das articulações, fluidos corporais e equilíbrio de humidade na pele) e a ama está a acumular-se nos fluidos corporais devido a erros dietéticos, então o Shleshaka Kapha e a ama misturam-se com a urina, criando irritação e enfraquecendo ainda mais o sistema imunológico.

Manter o colesterol saudável

Manter os níveis de colesterol saudáveis, evitando junk food e alimentos processados. Eles contêm gorduras trans, que são impossíveis de digerir pelo corpo e levam a níveis elevados de colesterol. Em vez disso, comer frutas frescas e suculentas, leite misturado com tâmaras ou pães tostados.  80% do colesterol é criado pelo fígado. É por isso que é importante manter o fígado saudável. O equilíbrio do colesterol ajuda a fortalecer o fígado para que ele possa metabolizar as gorduras adequadamente, eliminar o colesterol LDL do corpo – e manter os níveis normais de colesterol no sangue.

Prevenir doenças cardíacas

As doenças cardíacas são a principal causa de morte em homens. Proteger o coração fazendo exercícios pelo menos ½ hora todos os dias. Escolher um desporto que agrade, ou apenas uma caminhada rápida todas as manhãs.

De acordo com a Ayurveda, as doenças cardíacas estão mais frequentemente relacionadas a desvios na energia do Pitta. Isso é especialmente verdadeiro em relação a ataques cardíacos e derrames, porque quando o Pitta está desequilibrado, ele causa emoções negativas “ardentes” – irritabilidade intensa, agitação, ciúme e até raiva. No entanto, as doenças cardíacas podem estar relacionadas com os desequilíbrios dos outros dois Doshas. O Vata costuma causar desequilíbrios quando a pessoa fica mais velha, quando os tecidos começam a envelhecer e os vasos sanguíneos começam a perder a sua elasticidade. Os problemas cardíacos do tipo Kapha geralmente ocorrem devido a excessos e gordura acumulada, colesterol, muco que impedem o funcionamento normal do sistema cardiovascular.

Tensão sanguínea controlada

A prática da Meditação é uma forma simples de ajudar a manter a pressão arterial equilibrada, melhorar a saúde das artérias, do coração e do sistema nervoso.

Ouvir música védica

Sendo muito positivo para a saúde dos homens, a terapia de som védica tem sido usada por milhares de anos. Ouvir recitações védicas tradicionais autênticas de partes selecionadas da literatura védica aviva a autoconsciência e tem um efeito profundo no equilíbrio da mente e do corpo, e ajuda a equilibrar as três energias psicofisiológicas do corpo (Vata, Pitta e Kapha) que apoiam o relaxamento, melhora da saúde, felicidade e o desenvolvimento da iluminação.

Todas as recomendações devem ser acompanhadas pelo parecer de um médico ou terapeuta ayurvédico.

Os cuidados diários, a rotina, a repetição consciente do que faz bem, do que nutre, do que suporta, do que eleva são os grandes e pequenos passos que abrem o caminho para o despontar do sagrado masculino. À medida que as tomadas de consciência começam a ser constantes, a tolerância, a paciência e a brandura com os medos e as inseguranças internas dão espaço à coragem de se revelar a natureza masculina no seu melhor, e ao despontar do homem consciente, integrado e equilibrado.

Abóbora e Ayurveda | Receitas aromáticas para dias frios

Na Ayurveda as abóboras são doces, ligeiramente refrescantes e amargas, e têm reação doce. São frias e nutritivas. As abóboras maduras podem reduzir a energia do Pitta e também ajudar a equilibrar o Vata. Embora a abóbora seja um pouco refrescante, essa qualidade é reduzida quando é cozida especialmente com ghee. As abóboras são doces e enraizantes sendo ideais para ajudar a equilibrar o aumento do elemento Ar no outono, prevenindo doenças da época. As abóboras verdes devem ser evitadas, pois são difíceis de digerir, e podem agravar os três doshas.

A abóbora é indicada para as enfermidades de Kapha como a diabetes e é boa para equilibrar alguns problemas de Vata como a artrite. Diminui o ardor e as desordens do sangue. Aumenta a quantidade de sémen, e melhora o paladar. É útil em doenças dos pulmões, do coração, vertigens, insanidade e exaustão. Aumenta a quantidade de urina, e ajuda em problemas dos rins e de cálculos. Desintoxicantes naturais, as abóboras ajudam potencialmente a limpar a bexiga. Cozida em água, e comida durante alguns dias, é útil contra a bronquite. As sementes tostadas, mastigadas em jejum durante vários dias libertam as lombrigas e solitárias. Tradicionalmente, acredita-se que as abóboras afiam o intelecto e induzem a calma, sendo usadas para reduzir o stresse e a agitação, e outros desequilíbrios da mente.

Benefícios das abóboras

A abóbora é rica em antioxidantes, como vitamina A, vitamina C e vitamina E, além de fornecer uma boa dose de fibra. A vitamina A nas abóboras suporta a pele saudável e a saúde imunológica, enquanto as fibras ajudam a equilibrar os níveis de glicose no sangue. A abóbora também contém minerais como magnésio e potássio, que ajudam a equilibrar a pressão sanguínea e relaxam os músculos para proteger o sistema circulatório. Embora com baixo teor de gordura, as abóboras contêm ácidos gordos ómega-3 anti-inflamatórios na forma de ácido alfa-linolénico. Estas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da abóbora tornam-na  útil no suporte de um corpo saudável. São uma excelente fonte de beta-caroteno, sendo boas para a saúde ocular, podendo ajudar a reduzir os defeitos degenerativos dos olhos. As abóboras também demonstraram melhorar o equilíbrio do açúcar no sangue e a regulação da insulina. Os antioxidantes e os compostos anti-inflamatórios da abóbora parecem apoiar a saúde cardiovascular, e ajudam na prevenção do cancro. Por ser rica em zinco, a abóbora tem sido associada à melhoria da saúde da próstata.

Sementes de abóbora

As sementes de abóbora são uma fonte extra de nutrição, incluindo proteínas, minerais, vitaminas do complexo B e aminoácidos, como o triptofano que pode ajudar a aliviar a ansiedade e a melhorar o sono. Elas também ajudam a equilibrar os níveis de colesterol e fortalecer os ossos. Além disso, os antioxidantes e os ácidos gordos essenciais das sementes de abóbora demonstraram ajudar a aliviar a inflamação, especialmente nas articulações. Basta enxaguar, secar e assar as sementes de abóbora com especiarias como cominhos, açafrão ou canela para se ter um lanche saudável.

Algumas receitas com aroma Ayurvédico

Salada de abóbora com grão de bico

Ingredientes

1 chávena de abóbora sem casca cortada em cubos

1/2 colher de chá de cominhos em pó

1/2 colher de chá de coentros em pó

1 chávena de grão de bico embebido durante a noite, escorrido e cozido

2 colheres de sopa de sumo de limão

2 colheres de sopa + 2 colheres de sopa de azeite

Sal a gosto

Pimenta a gosto

1/4 chávena de sementes de abóbora

1/4 chávena de arandos secos

Preparação: Pré-aqueça o forno a 230ºC. Untar levemente uma assadeira grande. Misturar a abóbora, 2 colheres de sopa de azeite, coentros moídos e cominhos numa tigela grande. Temperar com sal e pimenta. Assar no forno por 20 minutos ou até que a abóbora esteja macia. Misturar 2 colheres de sopa de azeite e o sumo de limão, juntamente com o sal e a pimenta. Numa tigela grande, misturar o grão-de-bico cozido, a abóbora assada, as sementes de abóbora e os arandos. Despejar o molho e misturar delicadamente. Misturar até ficar bem integrado.

Arroz de Abóbora

Ingredientes

1/2 chávena de arroz basmati / arroz branco

1 chávena de água

1/4 de chávena de abóbora picada

2 colheres de sopa de coco ralado

2 pimentões verdes

1/4 de colher de chá de açafrão em pó

1/4 de colher de chá de cominhos em pó

1 colher de chá de folhas de coentros picadas

1/4. colheres de chá de sementes de mostarda

1 colher de chá de ghee (manteiga clarificada)

Preparação: Lavar e deixar de molho o arroz por 20 minutos. Aquecer o ghee numa panela e, uma vez quente, espalhar as sementes de mostarda. Adicionar a abóbora, os pimentões verdes e o coco e fritar em fogo médio por 2 minutos. Escorrer o arroz embebido e adicioná-lo à abóbora e adicionar 1 chávena de água junto com o açafrão em pó, os cominhos em pó e o sal necessário. Quando a água estiver completamente absorvida, desligar a chama e decorar com folhas de coentros. Servir quente.

Daal de abóbora ou Caril de lentilhas com abóbora

Ingredientes

1 chávena de lentilhas

1 chávena de abóbora cortada em cubos

1/2 chávena de cebola

4 dentes de alho picados

1/2 colher de chá de pimenta vermelha em pó

Sal, a gosto

2 colheres de chá de óleo de cozinha

1 colher de chá de sementes de mostarda

1/4 colher de chá de assa-fétida

Folhas de coentros para decorar

Preparação: Cozinhar as lentilhas numa panela de pressão até que fiquem macias e moles. Aquecer o óleo numa panela com fundo pesado e adicionar as sementes de mostarda. Quando começarem a estalar, adicionar assa-fétida. Despejar a cebola e o alho picados e refogá-los até que a cebola fique macia e translúcida. Adicionar a abóbora, o sal e a pimenta em pó e mexer bem. Tapar a panela e cozinhar por 10 minutos em fogo médio. Adicionar as lentilhas cozidas, e  água se a consistência for muito grossa. Decorar com folhas de coentros. A receita vai bem com arroz e pão.

Donuts de abóbora

Ingredientes

1 chávena de puré de abóbora

2 chávenas de farinha de trigo integral

1 chávena de açúcar mascavado orgânico

1 colher de chá de pó de cardamomo

Canela

Óleo – para fritar

Água conforme necessário

Preparação: Misturar a farinha de trigo, o açúcar, o cardamomo em pó e o puré de abóbora e colocá-lo na massa. Adicionar água, se necessário. A massa deve ter uma consistência fluida. Aquecer o óleo numa panela e despejar 1 colher de sopa de massa de cada vez e fritar até dourar por todos os lados. Polvilhar com açúcar e canela e servir quente.

Pudim doce de abóbora / Halwa de abóbora

Ingredientes

3 chávenas de abóbora cortada em cubos

2 colheres de sopa de ghee

1 chávena de açúcar mascavado ou açúcar amarelo

1 colher de chá de pó de cardamomo

2 colheres de sopa de frutas secas

Preparação: Numa panela, adicionar o ghee e refogar a abóbora por 2 minutos. Adicionar 1/2 chávena de água e cozinhar até que a abóbora fique mole. Adicionar o açúcar mascavado, e cozinhar até que fique integrado; pode levar até 20 minutos. Adicionar o pó de cardamomo e as frutas secas e servir quente ou frio.