Como nascem os Xamãs 🌟 How are Shamans born

Podemos começar por observar que um(a) Xamã é um(a) médium; ela(e) estabelece a ponte, a ligação entre as nossas diferentes dimensões, e traz desenvolvida a capacidade de percecionar a Vida multidimensionalmente, uma competência provavelmente desenvolvida em várias manifestações da sua Existência 🌟

A(O) Xamã treina-se para caminhar corajosamente primeiro pela sua própria Sombra, para a exorcizar e dela amigar-se, e ter com ela a mais amorosa das relações, para depois saber orientar e libertar os outros e a sua comunidade pelas suas dimensões sombrias 🌟

Entre Mundos ela(e) vagueia, Dança, Canta, Mantra, Medita e Ritualiza a sua conexão com os seus Guias e Mestres Interdimensionais, para ativar as seus poderes de Cura, Orientação, a sua Visão, a sua gentil e aberta comunicação com Ancestrais, Espíritos Animais, Elementais da Floresta 🌟

A sua jornada de Escuta, é uma peregrinação interna por onde caminha tantas vezes abraçada(o) à sua Solitude, ao ermitério do Coração se reconstrói, que sutura, com doçura, as brilhantes pequenas Realizações da sua Consciência e da sua Sabedoria 🌟

Edifica-se no Silêncio gracioso e nos árduos trilhos menos percorridos o Templo de Compaixão da(o) Xamã; nele encontramos Amor, Paz e imensa Luz, encontramos a Resiliência, a Fé, a Clareza e a Simplicidade disponíveis para serem partilhadas sem pré requisitos, julgamentos ou demais exigências 🌟

Quando nasce um(a) Xamã irrompe também a Auto-Mestria, a Auto-Responsabilidade permeadas pela grandiosidade de um Amor-Próprio que abre espaço ao Xamã no interior de cada um(a) de nós 🌟

Michele Pó 🌺

We can start by observing that a Shaman is a medium; he/she establishes the bridge, the connection between our different dimensions, and brings developed the ability to perceive Life multidimensionally, a competence probably developed in various manifestations of his/her Existence 🌟

The Shaman trains her/himself to walk courageously first by her/his own Shadow, to exorcise it and befriend it, and have the most loving relationship with it, to then know how to guide and free others and her/his community through their dark dimensions 🌟

Between Worlds she/he wanders, Dance , Sing, Mantra, Meditate and Ritualize her/his connection with her/his Interdimensional Guides and Masters, to activate her/his Healing powers, Guidance, her/his Vision, her/his gentle and open communication with Ancestors, Animal Spirits, Forest Elementals 🌟

Her/his journey of Listening, is an internal pilgrimage where she/he walks so many times hugging her/his Solitude, the hermitage of the reconstructed Heart, which sutures, with sweetness, the brilliant small Achievements of her/his Consciousness and Wisdom 🌟

The Shaman’s Temple of Compassion is built in graceful Silence and in the arduous trails less traveled; in it we find Love, Peace and immense Light, we find Resilience, Faith, Clarity and Simplicity available to be shared without prerequisites, judgments or other demands 🌟

When a Shaman is born, Self-Mastery, Self -Responsibility permeated by the grandeur of a Self-Love makes room for the Shaman inside each one of us 🌟

Michele Pó 🌺

Sermos Nações 🌟 Being Nations

Somos pessoas, contudo, e se fôssemos Nações? São as nossas escolhas sábias, as nossas atitudes, os nossos valores que condicionam a Luz, a Sabedoria e o Equilíbrio de uma Nação 🌟

Que escolhas, comportamentos e palavras usaríamos se tivessemos a noção clara do seu impacto no Mundo? 🌟

Somos pessoas e indivíduos, contudo, nós também Somos a Nação 🌟

Somos Responsáveis por aquilo que manifestamos e materializamos no Mundo, e a Qualidade do nosso trabalho interior define a Qualidade e a Vibração da Nação onde escolhemos viver 🌟

A Consciência e a Prática desse princípio faz cair por terra as críticas e os julgamentos relativas aos outros e à Nação, e revela a oportunidade de Mudarmos o Mundo a partir da nossa Mudança e Crescimento interior 🌟

Michele Pó 🌺

We are people, however, what if we were Nations? It’s our wise choices, our attitudes, our values that condition the Light, Wisdom and Balance of a Nation 🌟

What choices, behaviors and words would we use if we had a clear idea of our impact on the world? 🌟

We are people and individuals, however, we are also the nation 🌟

We are Responsible for what we manifest and materialize in the World, and the Quality of our inner work defines the Quality and Vibration of the Nation where we choose to live 🌟

The Consciousness and Practice of this principle breaks down criticism and judgments regarding others and the Nation, and reveals the opportunity to Change the World from our Inner Change and Growth 🌟

Michele Pó 🌺

Liberdade em Abril 🌹

Tempos de assumirmos corajosamente a Auto-Responsabilidade de Sermos Livres, de Vermos Além e para lá do que nos é mostrado 🌹

Tempos de quebrarmos os filtros internos obsoletos, os nossos vidros ilusórios e os nossos condicionamentos, e encontrarmos a Coerência, a Fidelidade e a Autenticidade entre a nossa Ação e Pensamento, e os nossos Valores e Coração ❤

Michele Pó 🌺

A Arte de tricotar a Mente 🌟The Art of Knitting the Mind

Todas(os) nós temos ou tivemos em algum momento a tendência para pensamentos obsessivos, pensamentos em loop, pensamentos que mordem a mente sem a largar, e que nos deixam distraídas(os), fora de nós, desligados da nossaEssência. Por isso mesmo, tornar a Mente uma aliada e dar uma direção saudável ao fluir dos nossos pensamentos é uma Arte que requer o melhor da nossa Resiliência 🌟

Esta tendência à divagação repetitiva enraízou-se ainda na nossa infância, quando começámos generosamente a absorver os Arquétipos e as Crenças limitadoras dos nossos ancestrais, sem colocar qualquer filtro ao que trazíamos para dentro da nossa construção e vocabulário mental. Quanto mais a estrutura familiar tende à rigidez relacional, mais tendemos a enredar-nos no nosso loop mental, mesmo que o nosso mindset seja distinto dos nossos pais, já que o comportamento, a forma de construir e operar com o mental já foi interiorizado, e manifesta-se como um apego pouco saudável e insistente pelos nossos pensamentos menos felizes 🌟

É curioso, como o loop mental raramente nos afeta quando nos sentimos bem e centradas(os). A felicidade atrai a nossa Presença para o Aqui e Agora. O loop mental, por outro lado, projeta-nos erraticamente em todas as direcções da nossa linha do Tempo, trazendo-nos a sensação de ansiedade, desconcerto e descontentamento 🌟

‘A energia segue o pensamento’, e o pensamento manifesta-se como a nossa Realidade, já que a forma como pensamos, e a linha orientadora dos nossos Valores intrínsecos estão condicionados por esta lente mental através da qual observamos a Vida. Isso implica que à partida só conseguimos entender e conceber a existência daquilo que já conhecemos e já experienciámos ou foi experienciado pelos nossos ancestrais. Na verdade, o Novo, o “fora da caixa” só consegue tocar a nossa Mente quando um Evento interno, um cataclisma emocional (uma separação, uma morte, uma mudança de casa ou de trabalho, e por aí adiante) abre uma brencha no nosso pensamento condicionado, e permitimo-nos então ‘pormo-nos’ em causa e estarmos flexíveis o suficiente para uma mudança de Paradigma, uma expansão de horizontes 🌟

Para deixarmos de roer persistentemente os ossinhos dos nossos pensamentos gatilho, que nos distraem e nos dispersam, precisamos de começar a treinar-nos a parar, a respirar, a auto-observar as divagações da nossa Mente. E a melhor forma de redirecionarmos a Mente está na criativa Intenção de lhe oferecermos outro foco, outra prioridade em que colocar a sua atenção 🌟

Desde tempos imemoriais que esta tarefa tem sido mais simples para o sagrado feminino, já que a natureza das suas capacidades naturais, e das suas funções sociais e relacionais permitiam-lhe o Tempo da Contemplação, através das artes do Tecer, do Bordar, do Cozer, do Tricotar, que lhes abria o espaço para a Contemplação (o Hemisfério direito), ao mesmo tempo que mantinham o Foco (na tarefa repetida, como é tanto do gosto do Hemisfério esquerdo) 🌟

Estas Artes de Contemplação ativam naturalmente as nossas competências meditativas, e fomentam a nossa concentração. Elas também nutrem a boa ligação, a conexão equilibrada, entre o Coração e o Cérebro, alentando a Coerência entre os hemisférios, o que resulta num gentil e deslumbrante acesso espontâneo à nossa Intuição 🌟

Para treinarmos a nossa Mente, para dominarmos a nossa Sombra, o nosso Dragão, cabe-nos encontrarmos o exercício que mais facilmente a acalma e direciona (seja ele o canto, a dança, a música, o rabiscar e desenhar, o Yoga, o surf, o desporto, a Mantraterapia, a Mandalaterapia, o rosário, o bordar, o tricotar, a Contemplação ou a Pintura de linhas do horizonte, etc.), e exercitarmos com Resiliência, insistirmos com Responsabilidade na prática deste ginásio mental que de todas estas e outras formas nos leva à Meditação, e à Paz Interior 🌟

Michele Pó 🌟

All of us have or had at some point a tendency towards obsessive thoughts, looping thoughts, thoughts that bite the mind without letting go, and that leave us distracted, outside of ourselves, disconnected from our Essence. Therefore, making the Mind an ally and giving a healthy direction to its flow is an Art that requires the best of our Resilience 🌟

This tendency to repetitive rambling was grounded in our childhood, when we generously begin to absorb the Archetypes and limiting Beliefs of our ancestors, without putting any filter on what we brought into our mental construction and vocabulary. The more the family structure tends to relational rigidity, the more we tend to get entangled in our mental loop, even if our mindset is different from our parents, since the behavior, the way of building and operating with the mental has already been internalized, and it manifests as an unhealthy and insistent attachment to our less happy thoughts 🌟

It’s curious how the mental loop rarely affects us when we feel good and centered. Happiness draws our Presence into the Here and Now. The mental loop, on the other hand, projects us erratically in all directions of our Timeline, bringing us the feeling of anxiety, bewilderment and discontent 🌟

‘Energy follows thought’, and thought manifests as our Reality, as the way we think and the guideline of our Intrinsic Values are conditioned by this mental lens through which we view Life. This implies that at the outset we can only understand and conceive the existence of what we already know and have already experienced or was experienced by our ancestors. In fact, the New, the “outside of the box” can only touch our Mind when an internal Event, an emotional cataclysm (a separation, a death, a house or work transition, and so on) opens a breach in the our conditioned thinking, and then we allow ourselves to ‘question’ ourselves and be flexible enough for a Paradigm change, an horizons expansion 🌟

To stop persistently gnawing the bones of our trigger thoughts, which distract and disperse us, we need to start training ourselves to be still, to breathe, to self-observe the wanderings of our Mind. And the best way to redirect the Mind is to set the creative Intention of offering ourselves another focus, another priority to put our attention on 🌟

Since the beggining of time, this task has been simpler for the sacred feminine, since the nature of her natural abilities, and her social and relational functions allowed her the Time gor Contemplation, through the arts of Weaving, Embroidering, Sewing, Knitting, which opened the space for Contemplation (the Right Hemisphere), while maintaining Focus (on the repeated task, which so much pleases the Left Hemisphere) 🌟

These Arts of Contemplation naturally activate our meditative skills, and encourage our concentration. They also nurture the good connection, the balanced bond, between the Heart and the Brain, encouraging Coherence between the hemispheres, which results in a gentle and dazzling spontaneous access to our Intuition 🌟

To train our Mind, to dominate our Shadow, our Dragon, it’s up to us to find the exercise that calms and directs it more easily (whether it be singing, dancing, music, doodling and drawing, Yoga, surfing, sport, Mantratherapy, Mandalatherapy, the rosary, embroidering, knitting, Contemplation or Painting of horizon lines, etc.), and exercising it with Resilience, insisting responsibly on the practice of this mental gymnasium that in of all these and other ways lead us to Meditation, and to Inner Peace 🌟

Michele Pó 🌺

Dia da Terra 🌟 Earth’s Day

Vivemos imersas(os) na Consciência de Gaia, e quase nos esquecemos do quanto Somos feitos da sua matéria-Luz vibrante, do seu colo-Amor resilientemente Presente 🌟

Todas as células do nosso corpo reconhecem o batimento cardíaco da nossa Mãe; reconhecem e sintonizam-se também com o generoso e orientador Coração da Grande Mãe, que nos acolhe, suporta e sustenta 🌟

A inteligência orgânica da Terra é tanta que nos oferece graciosamente todos os dias os sábios alimentos que nutrem a nossa dimensão física, absorve cuidadosamente toda a densidade impregnada na nossa aura bastando caminharmos descalças(os) pelo seu recetivo campo electromagnético, da mesma forma que nos preenche de volta com a energia revitalizante, regeneradora e curativa que absorvemos pelos nossos pés, e envolve-nos nos seus Ciclos e Ritmos que Inspiram e Alentam a nossa Evolução 🌟

Como Grande Materializadora ela exprime através de Águas, Montanhas, Atmosfera, Arco-Íris e Tempestades a reverberação da nossa Mente e Emoções Coletivas; observando o estado do nosso Planeta, a sua poluição e o desrespeito pelo seu Equilíbrio, podemos tomar consciência do impacto da nossa Existência e das nossas Escolhas individuais, e aceitarmos a responsabilidade de assertivamente Sermos melhores e mais Presentes na nossa relação com Gaia 🌟

Agora que a Consciência da Terra transita para uma vibração mais elevada, ela convida-nos a acompanhá-la na purificação das nossas Águas, do nosso Ar, do nosso Fogo, da Terra em nós, e aceitarmos de boa Vontade cuidar do nosso trabalho sagrado nesta graciosa Rede de Luz Planetária, a impregnarmos de Amor todas as nossas decisões e a vibrarmos com Gratidão pelos milagres do quotidiano 🌟

Feliz Dia da Terra 💚 Bênçãos a Gaia 🌟

Michele Pó 🌺

We live immersed in the Consciousness of Gaia, and we almost forget how much We are made of her vibrant Light-matter of her Love-lap resiliently Present 🌟

All the cells in our body recognize our Mother’s heartbeat; they also recognize and tune in to the generous and guiding Heart of the Great Mother, who welcomes, supports and sustains us 🌟

The Earth’s organic intelligence is so great that it offers us every day the wise foods that nourish our physical dimension, carefully absorbs all the density impregnated in our aura, just by walking barefoot through its receptive electromagnetic field, in the same way that it fills us back with the revitalizing, regenerating and healing energy that we absorb through our feet, and involves us in its Cycles and Rhythms that Inspire and Encourage our Evolution 🌟

As the Great Materializer she expresses through Waters, Mountains, Atmosphere, Rainbows and Storms the reverberation of our Collective Mind and Emotions; observing the state of our Planet, its pollution and the disrespect for its Balance, we can become aware of the impact of our Existence and our individual Choices, and accept the responsibility of assertively Being better and more Present in our relationship with Gaia 🌟

Now that the Earth Consciousness transits to a higher vibration, it invites us to accompany it in the purification of our Waters, our Air, our Fire, the Earth in us, and accept with good will to take care of our sacred work in this graceful Planetary Light Network, impregnating all our decisions with Love and vibrating with Gratitude for the miracles of everyday life 🌟

Happy Earth Day 💚 Blessings to Gaia 🌟

Michele Pó 🌺

Reencarnação e a Consciência Quântica 🌟 Reincarnation and Quântica Awareness

Hoje em dia já vamos estando mais confortáveis, conscientes e disponíveis para aceitar o conceito da Reencarnação; já acolhemos com maior facilidade que a nossa Alma pode renascer noutro corpo e fazer uma transmigração das suas experiências vividas; concebemos com menor resistência que vivemos outras vidas, e que podemos herdar dons, karma e competências dos nossos ancestrais, que no passado podemos ter sido nós próprias(os) 🌟

Porém, na perspectiva da Consciência Quântica a nossa Alma tem também uma natureza Multidimensional e quando encarna pode repartir a sua Manifestação por diversas Vidas ou Universos Paralelos, por vezes muito semelhantes àquele em que vivemos atualmente com ligeiras e diferentes nuances, ou drasticamente díspares da nossa presente experiência, tanto em termos de Espaço como de Tempo, para poder desta forma evoluir e realizar outros Propósitos complementares entre si 🌟

Para além disso, a Visão Quântica também revela que o Tempo também é Multidimensional e aquilo que considerávamos como Vida passada pode, na verdade, estar a acontecer naquele intervalo temporal em que acedemos àquela “memória”; por outras palavras, acedemos a instantes de outras Vidas paralelas, outras Dimensões, eventualmente, outros Universos, momentos em que a experiência que se está a manifestar é significativa e relevante para compreendermos o nosso momento Presente, e para complementar o nosso Propósito de Vida 🌟

Cirandamos pelos nossos dias, divagando por entre os portais multidimensionais da nossa própria Consciência, e perdemo-nos e viajamos na maionese, muitas vezes, nesses acessos espontâneos a sensações, visões, mensagens que recebemos do nosso Eu Multidimensional 🌟

A Reencarnação parece ocorrer em múltiplas janelas que nos oferecem variadas oportunidades de crescimento; mais uma vez, é o gracioso ato meditativo, a expansiva contemplação, o sensato e sereno cultivo da nossa Presença, e o nosso Enraizamento que agrega, sintetiza e nos traz o Néctar das nossas diferentes experiências, em diferentes Dimensões, resumidas como Sabedoria, Amor, Luz e Compaixão 🌟

Somos individualmente requintada e sábia Flor a desabrochar a sua Consciência Multidimensional, e a emanar gloriosa o perfume da sua transcendente, subtil e amorosa Existência 🌟

Michele Pó 🌺

Today we are becoming more comfortable, aware and available to accept the concept of Reincarnation; we already more easily accept that our Soul can be reborn in another body and make a transmigration of its lived experiences into it; we conceive with less resistance that we live other lives, and that we can inherit gifts, karma and skills from our ancestors, which in the past we may have been ourselves 🌟

However, from the perspective of Quantum Consciousness, our Soul also has a Multidimensional nature and when it incarnates it can spread its Manifestation over several Lives or Parallel Universes, sometimes very similar to the one we currently live in with slight and different nuances, or drastically different from our present experience, both in terms of Space and Time, in order to evolve in this way and carry out other complementary Purposes 🌟

In addition, the Quantum Vision also reveals that Time is also Multidimensional and what we considered as Past Life may actually be happening in that time interval when we access that “memory”; in other words, we access moments of other parallel Lives, other Dimensions, eventually other Universes, moments when the experience that is manifesting is significant and relevant to understand our Present moment, and to complement our Life Purpose 🌟

We wander through our days, drifting through the multidimensional portals of our own Consciousness, and we may get lost and ramble many times, in these spontaneous accesses to sensations, visions, messages that we receive from our Multidimensional Self 🌟

Reincarnation seems to occur in multiple windows that offer us varied opportunities for growth; once again, is our graceful meditative act, the expansive contemplation, the sensible and serene cultivation of our Presence, and our Groundness which aggregates, synthesizes and brings us the Nectar of our different experiences, in different Dimensions, summarized as Wisdom, Love, Light and Compassion 🌟

We are individually an exquisite and wise Flower blooming its Multidimensional Consciousness, and gloriously emanating the perfume of its transcendent, subtle and loving Existence 🌟

Michele Pó 🌺

Cair em mim 🌟 Fall back to me

Cair em mim é voltar ao Coração 🌟
Cair em mim é libertar a Ilusão 🌟

Cair em mim é Despertar, Acordar, Fluir 🌟
Cair em mim é Observar “com olhos de Ver” o Mundo à minha volta 🌟

Cair em mim é Enraízar, é Presenciar 🌟
Cair em mim é estar una(o) com o meu Corpo🌟

Cair em mim é sentir com a Alma 🌟 Cair em mim é vibrar com o Espírito 🌟

Cair em mim é reencontrar a Paz Interior 🌟
Cair em mim é mesmo o melhor tombo da Vida 🌟

Michele Pó 🌺

To fall back to me is to return to the Heart 🌟
Falling on me is releasing the illusion 🌟
Falling into me is Awakening, Waking Up, Flowing 🌟
To fall into myself is to observe “with eyes to see” the world around me 🌟
Falling into me is grounding, it’s witnessing 🌟
Falling into myself is to be one with my Body 🌟
Falling into me is feeling with the Soul 🌟           

Falling into me is vibrating with the Spirit 🌟
Falling into me is finding Inner Peace 🌟
Falling on me is really the best fall in life 🌟

Michele Pó 🌺

Equilibrar o Kapha 🌟

As pessoas com a constituição Kapha possuem um corpo bem desenvolvido, porém com tendência a ganharem peso e a tornarem-se obesos. O tórax é largo e possuem uma boa massa muscular e óssea.

De natureza generosa, afável e compreensiva tendem, no entanto, a instalarem-se na sua zona de conforto, e a gostarem de uma vida rotineira e um pouco monótona. Têm um apetite regular e uma digestão tendencialmente lenta; possuem um bom sono e boa capacidade vital. O indivíduo Kapha deve ter uma dieta que aqueça, leve e seca.

Tal como para os outros humores (dosha), para Kapha é também recomendável uma rotina regular. Beber água morna todos os dias ajuda a reduzir a qualidade fria de Kapha, a desfazer o acúmulo tóxico no organismo, e a fazer uma purificação geral. Contudo, onde uma pessoa constituição Vata precisa bastante de se hidratar, a constituição Kapha, que é propensa à retenção de líquidos (emoções), beneficia da ingestão de cerca de apenas um litro de líquidos mornos por dia. Deve procurar manter-se quente, pois a natureza Kapha aumenta com o frio.

ROTINA DIÁRIA – DINA CHARYA

Já que o Kapha tem a tendência maior a aumentar o Tamas (inércia) no corpo, as pessoas de constituição Kapha, ou que estejam com o Kapha aumentado numa fase da sua vida, precisam de aumentar o seu nível de atividade diário para combaterem a estagnação. É por isso recomendado que o Kapha tenha uma atividade física quotidiana intensa e que se deixe levar pelos desafios e mudanças que a Vida que lhe proporciona, tanto quanto possível.

VER TAMBÉM: CATIVAR OS DOSHAS: VATA, PITTA E KAPHA NA RELAÇÃO

Dentro do possível deve deitar-se tarde, encontrar a resiliência para seguir um regime de exercícios físicos; Desenvolver-se a si próprio; viajar; correr riscos, e sair da sua zona de conforto; Tomar banhos quentes, porém rápido, já que o nosso corpo absorve bastante água no duche, que no Kapha pode ficar estagnada no corpo. Tomar banhos de vapor e fazer inalações do mesmo. Jejuar sempre que possível; o jejum intermitente é uma excelente forma do Kapha se manter equilibrado. O Kapha tende a aumentar tanto pela hora do pequeno-almoço, como pela hora do jantar, pelo que a refeição preferencial do Kapha deve ser o almoço.

O Kapha deve evitar aplicar coisas frias no corpo. Evitar também o trabalho sedentário e a inércia física. Dormir durante o dia e dormir demais aumenta o Kapha, assim como viajar durante o tempo frio. Usar água fria no banho e tomar muitos banhos por dia desequilibram o Kapha. Comer demasiado, comer muitas vezes ao dia, comer sem que a refeição anterior esteja digerida, e comer depois do sol ter-se posto aumenta bastante o Kapha.

A Primavera é a estação do ano que tende a agravar o Kapha, pelo que a dieta para esta estação do ano deve ter em conta esta tendência. O tempo seco e quente é o clima que mais equilibra o Kapha. Se possível a pessoa de constituição Kapha deve evitar viver perto de grandes massas de água, e em climas húmidos e frios, já que a probabilidade da sua constituição se agravar fica incrementada.

DIETOTERAPIA PARA KAPHA

Uma dieta para Kapha reduz as qualidades de pesado, frio, obtuso, húmido, estável e pegajoso. Os Kapha podem fazer uma dieta de líquidos ou alimentos liquefeitos, uma vez por semana ou por mês. A dieta líquida reduz o stress digestivo e ajuda a promover uma melhor assimilação. As mulheres podem fazer uma dieta líquida no primeiro dia da menstruação. Como uma dieta líquida tem o objetivo de purificação é apropriado usarem-se alimentos frescos e saudáveis, como sopas, sumos de fruta ou de vegetais (como cenoura, beterraba) feitos no momento, infusões de ervas ou água quente com limão, evitando-se, porém, a ingestão excessiva de líquidos. Devem-se ingerir menos quantidade de alimentos e fazer uso de plantas medicinais, como o gengibre e a erva-doce. Neste caso, o jejum uma vez na semana ou de quinze em quinze dias é aconselhado.

Devem-se evitar alimentos frios, oleosos e pesados, assim como os sabores doce, salgado e ácido, porque favorecem o acumulo de muco e gordura. Os sabores indicados para estas pessoas são: o picante, o amargo e o adstringente.

É importante que a dieta Kapha seja equilibrada e saudável, incluindo alimentos frescos, deliciosos, viçosos, nutritivos e de boa qualidade. São de evitar os alimentos embalados, conservados, sobras ou alimentos de pouco valor nutritivo, como o fast-food. Consumir um mínimo de gorduras, incluindo fritos, evitar alimentos e bebidas congeladas, doces e quantidades excessivas de pão; manter uma ingestão controlada de hidratos de carbono e de alimentos energéticos. Esta dieta é leve e dá preferência a vegetais cozidos ao vapor, leguminosas, condimentos picantes e grãos leves, que possuem uma natureza diurética.

Eis algumas sugestões:

– Aumentar a ingestão de alimentos quentes, leves, secos e pouco oleosos;

– Reduzir a ingestão de alimentos frios, pesados, oleosos, doces, ácidos ou salgados;

– Ingerir alimentos picantes, amargos e adstringentes;

– Evitar comer muito. Embora o Kapha tenha menos apetite que um Pitta pode, contudo, comer mais. Os Kapha são maiores e mais pesados porque o seu sistema digestivo é muito eficiente na assimilação dos nutrientes. Os Kapha sabem instintivamente que existem diferenças nos seu metabolismo, pois eles ‘engordam’ só de olhar para um alimento apetecível. Um Kapha pode dar-se ao luxo de saltar uma, ou até mesmo duas refeições;

– Os lacticínios (leite, manteiga e ghee) são de evitar para a fisiologia Kapha, porque possuem um alto teor de gordura e açúcar do leite (lactose), aumentando o desafio que o Kapha tem em metabolizar estes alimentos. O ghee pode ser usado com parcimónia;

– Todos os adoçantes, exceto o mel e o melaço devem ser evitados;

– Saladas, vegetais crus e cozidos ao vapor reduzem o Kapha;

– Reduzir a carne vermelha e de porco, bem como os peixes e frutos do mar;

– Fazer as refeições em ambiente tranquilo, e mastigar bem os alimentos;

– De preferência adotar uma alimentação vegetariana, que é de um modo geral, mais fácil de digerir, e menos propensa à acumulação de toxinas no organismo;

– A dieta para o tipo Kapha deve incluir: 30% de proteínas, 40% de hidratos de carbono e 30% de gordura;

– Os estimulantes (como o café, chá ou outros) são de evitar para a fisiologia Kapha, porém são menos desequilibrantes do que para as constituições Pitta e Vata;

– O almoço deve ser a refeição principal, pois o fogo digestivo está alto;

– Evitar a ingestão de líquidos durante a refeição, já que diminui o fogo digestivo sensível e fraco do Kapha;

– É importante que o Kapha desenvolva atividades estimulantes e exercício, no seu quotidiano, de forma a evitar a estagnação que lhe é natural;

– Uma massagem diária com óleo de amêndoas doces ou óleo de mostarda é o ideal, sobretudo antes de se deitar. Deve incidir a massagem nos pés, mãos e abdómen, sem precisar de usar muito óleo, pois a pele Kapha é já bastante oleosa e macia;

– A meditação diária pode facilitar a concentração do Kapha, inclusive no seu objetivo de estabelecer uma dieta equilibrada, para além dos benefícios próprios desta prática;

– Evitar atividade a altas horas da noite;

– É importante as mulheres repousarem bastante durante o ciclo menstrual.


SUGESTÃO DE MENU PARA EXCESSO DE KAPHA

Pequeno-Almoço: Pão de milho ou centeio com mel (moderadamente), cevada com água quente e especiarias, uma maçã. Ou apenas uma infusão de manjericão. Idealmente saltar esta refeição.
Almoço: Milho, 2 legumes (dos recomendados), feijão, chá de hortelã, erva-doce, canela ou camomila.
Lanche: Biscoito de milho ou centeio, Infusão de plantas.
Jantar: Sopa de ervilhas. Kitchari com vegetais da época. Idealmente saltar esta refeição.


ALIMENTOS RECOMENDÁVEIS PARA A CONSTITUIÇÃO KAPHA

Frutos Recomendados

Ameixas pretas, Alperces, Bagas, Caqui, Cereja, Damasco, Diospiros, Figos (secos), Framboesa, Limas, Limões, Maçã, Morangos, Pêssego, Pera, Romã, Uvas passas, Frutos secos.Frutas doces e ácidas, Abacate,

A Evitar Abacaxi, Ameixa, Banana, Coco, Figo, Kiwi, Laranjas, Mamão, Manga, Melancia, Melão, Papaia, Ruibarbo, Tâmaras, Tamarindo, Uvas.

Verduras recomendadas

Vegetais picantes e amargos, Alcachofras, Aipo, Alho, Alface, Espargos, Batata branca, Beterraba, Beringelas, Brócolos, Brotos, Cebola, Cenoura, Couve-flor, Couve-de-Bruxelas, Cogumelos, Dente-de-leão, Ervilhas, Espinafres, Feijão-verde, Funcho, Folhas verdes, Milho, Mostarda verde, Salsa, Pimentas, Quiabo, Rabanete, Rábano, Repolho, Tomates (cozidos).

 
A Evitar Vegetais doces e suculentos, Abóbora, Azeitonas verdes e pretas, Batata-doce, corgete, Pepinos, Tomate.

Cereais recomendados

Amaranto, Aveia seca, Cereais estufados, Cevada, Centeio, cuscuz, Granola, Milho, Painço, Polenta, Seitan, Tapioca, Arroz em pequena quantidade.Aveia cozida, Arroz castanho e branco, Trigo. Pão, Panquecas, Bolos de arroz, Massa.LeguminosasTodas as leguminosas são apropriadas, exceto o feijão comum, a soja, a farinha de soja, o miso, as lentilhas pretas.LacticíniosNão pode comer lacticínios, exceto o ghee, o iogurte diluído, o leite e o queijo de cabra

Cereais Amaranto, Aveia seca, Cereais estufados, Cevada, Centeio, cuscuz, Granola, Milho, Painço, Polenta, Seitan, Tapioca, Arroz em pequena quantidade.

A Evitar Aveia cozida, Arroz castanho e branco, Trigo. Pão, Panquecas, Bolos de arroz, Massa.

Leguminosas Todas as leguminosas são apropriadas, exceto o feijão comum, a soja, a farinha de soja, o miso, as lentilhas pretas.

Lacticínios Não pode comer lacticínios, exceto o ghee, o iogurte diluído, o leite e o queijo de cabra em pequenas quantidades.

Nozes Nenhuma castanha.

SementesNenhuma semente exceto a de linho, girassol, milho e de abóbora.

ÓleosApenas os óleos de Amêndoas, ghee, milho, girassol, sésamo ou mostarda em pequena quantidade. 

Bebidas Cidra, Sumo de Aloé Vera, de Alperce, de Ananás, de Ameixa, de Arando, de Cenoura, de Cereja, de Frutos Silvestres, de Maçã, de Manga, de Pêssego, de Pera, de Romã, de Uvas, Chá Preto com especiarias, Leite de Soja com especiarias.

Infusões: Alfafa, Cevada, Amoras-silvestres, Bardana, Camomila, Chicória, Canela, Chá Mate, Cravinho-da-Índia, Consolda, Dente-de-leão, Erva-doce, Feno-grego, Gengibre, Ginseng, Hortelã-pimenta, Ibiscus, Jasmim, Lavanda, Limão, Morango, Salsaparilha, Sassafras, Zimbro.

A Evitar álcool, Leite de Amêndoas, de Arroz, de Soja, Leite com Chocolate, Café, Bebidas cafeínadas e carbonatadas, Bebidas frias com Lacticínios, Sumos ácidos, Sumo de Cereja amarga, de Laranja, de Papaia, de Tomate, Ice Tea, Bebidas geladas, Limonada.

Especiarias Todas as especiarias são apropriadas, exceto o sal que dever consumido com moderação.

A Evitar O chocolate, o gomásio, o ketchup, os pickles de Manga e Limas, a maionese, o molho de Soja, o tamarindo e o vinagre devem também ser consumidos com parcimónia.

Adoçantes Nenhum doce exceto a frutose e o mel. 

Suplementos Alimentares Sumo de Aloé Vera, Aminoácidos, Cevada verde, Levedura de Cerveja, Pólen de Abelha.

Minerais: cobre, cálcio, ferro, magnésio, zinco, Geleia Real, Spirulina, algas azuis-esverdeadas.

A Evitar Potássio.

Fitoterapia recomendada

A Triphala é um dos melhores tónicos equilibradores do fogo digestivo, e um excelente adaptogénico digestivo, contendo três frutas que equilibram cada um dos três humores. Trikatu é a mistura em iguais parte de pippali (pimenta longa), pimenta preta e gengibre, que tomado antes das refeições, pode ajudar a alentar o fogo digestivo do Kapha.

POSTURAS DE YOGA PARA DOSHA KAPHA

Existem posturas de Yoga preventivo mais recomendadas para o Kapha.

Bronquite: Sarvangasana, Halasana, Balasana, peixe diamante, meia ponte, peixe Efizema: meia ponte, Sarvangasana Sinusite: peixe, Navasana, Halasana, Dhanurasana, bhastrika Dor de cabeça sinusal: leão, peixe, pinça macia Diabetes: Navasana, Peixe, meia ponte, Criança, Peixe Diamante Distúrbios Gastrointestinais Crónicos: Peixe, Salabhasana, Bhujangasana Dor de Garganta: Leão, Sarvangasana, Peixe, Lagosta Asma: Meia Ponte, Dhanurasana, Navasana, Sarvangasana, Peixe, Bhujangasana, Alongamento em Pé

Todas as posturas devem ser executadas seguindo uma respiração profunda e silenciosa.

Pranayama para Kapha: Bhastrika (respiração de fole)

A Bhastrika (respiração de fole) tem as qualidades opostas às de Kapha, para estimular, aquecer e levantar o seu excesso. A Bhastrika ajuda a aumentar o fluxo gracioso de prana através dos canais de energia do corpo (nadis). Também ajuda a remover o excesso de congestionamento nos pulmões e iluminar a mente. A Bhastrika é o melhor Pranayama a ser praticado durante a primavera, ou sempre que nos sentirmos lentos, letárgicos, levemente congestionados ou desmotivados.

Observação: Esta técnica de respiração deve ser feita com o estômago vazio. Pode ser útil ter um lenço de papel à mão caso o excesso de muco seja solto. Evitar a Bhastrika durante a gravidez ou se houverem problemas cardíacos ou respiratórios.

Todas as recomendações devem ser ajustadas ao perfil específico da pessoa, e avaliadas por um médico ou terapeuta ayurvédico.

https://mood.sapo.pt/equilibrar-o-kapha-rotina-alimentacao-e-inspiracao-ayurvedica/

Mudar o Passado 🌟 Changing the Past

Uma das nossas crenças limitadoras mais intrínsecas e arraigadas assenta na ideia de que o Passado é imutável e permanente 🌟

Porém, podemos talvez aceitar que o Passado constitui o manancial de memórias que nos tocaram, marcaram, teceram a nossa história pessoal e moldaram a nossa paisagem emocional; podemos também observar que a estrutura do nosso Passado foi conformada na matriz dos Valores, das crenças e dos equívocos que herdámos, e nos quais fomos educadas(os) e condicionadas(os) 🌟

Em última instância o Passado, como Tempo que já passou existe apenas internamente e reflete as nossas imagens interiores (muitas formadas pela Criança Interior em dor), e é moldado pela tapeçaria imaginária e holográfica (muitas vezes extrapolada) com que criámos o nosso conto, a nossa dramática e complexa narrativa emocional 🌟

No momento em Reconhecemos a estreiteza e a constrição dos condicionamentos em que formámos o conceito de Quem pensávamos que éramos, e Libertamos a estrutura confinada e limitada em que sonhámos o podíamos vir a Ser, a malha de Tempo que sustentava o enquadramento do Passado é transmutada, rompida e colapsada para dar espaço a uma nova construção, a um contexto ressignificado, sanado, sublimado que inevitavelmente altera a nossa Memória, basicamente porque mudamos a forma como o sentimos e olhamos para o nosso singular enredo 🌟

O Passado transforma-se sempre que ampliamos os nossos horizontes e expandimos o nosso enquadramento; o Passado desvanece e perde a sua força quando ativamos a noção da sua multidimensionalidade e mutabilidade plenamente acessível à nossa Vontade de transição e evolução; o Passado reconstrói-se quando nos permitimos deixar cair o peso obsoleto das recordações dolorosamente armazenadas, e sabiamente Escolhemos sentir Leveza e Abertura no Coração; modificamos o nosso Passado saindo da nossa Zona de Conforto, ousando caminhar no nosso Dia-a-Dia sem o fardo da memória, abraçando a ligeireza e a liberdade sustentadas pela nossa própria Presença e Decisão expansora de Consciência 🌟

O Passado muda quando nós flexibilizamos as nossas emoções e adaptamos uma nova, fresca e renascida perspectiva 🌟

Michele Pó 🌺

One of our most intrinsic and ingrained limiting beliefs is based on the idea that the Past is immutable and permanent 🌟

However, we can perhaps accept that the Past constitutes the source of memories that touched us, marked us, wove our personal history and shaped our emotional landscape; we can also observe that the structure of our Past was shaped in the matrix of Values, beliefs and misconceptions that we inherited, and in which we were educated and conditioned 🌟

Ultimately the Past, as Time that has passed, exists only internally and reflects our inner images (many formed by the hurting Inner Child), and is shaped by the imaginary and holographic tapestry (often extrapolated) with which we created our tale, our dramatic and complex emotional narrative 🌟

At the moment when We recognize the narrowness and constriction of the conditionings in which we formed the concept of Who we thought we were, and We freed the confined and limited structure in which we dreamed of what we could become, the mesh of Time that sustained the framework of the Past is transmuted, broken and collapsed to make room for a new construction, a re-signified, healed, sublimated context that inevitably alters our Memory, basically because we change the way we feel and look at our unique plot 🌟

The Past is transformed whenever we broaden our horizons and expand our framework; the Past fades and loses its strength when we activate the notion of its multidimensionality and mutability, fully accessible to our Will for transition and evolution; the Past rebuilds itself when we allow ourselves to drop the stale weight of painfully stored memories, and wisely Choose to feel Lightness and Openness in the Heart; we change our Past leaving our Comfort Zone, daring to walk in our Day-to-Day without the burden of memory, embracing the lightness and freedom sustained by our own Presence and Consciousness-expanding Decision 🌟

The Past changes when we flex our emotions and adapt a new, fresh and reborn perspective 🌟

Michele Pó 🌺